sábado, 21 de abril de 2012

Estudante paulista reduz 25 kg após se achar gorda em fotos de viagem

"apesar do remédio que ela tomou, histórias de sucesso sempre estimulam"

Em uma viagem de cinco dias à Disney de Orlando, nos EUA, a estudante de matemática Ariane Haselmann, de 23 anos, tirou centenas de fotos, mas hoje restaram praticamente as que aparecem as atrações, os personagens e os parques temáticos. Isso porque várias imagens em que ela estava foram apagadas por ela mesma, após levar um susto com seu peso.

“Fui com meu namorado e a família dele, e meu sogro tirou muitas fotos. Ele ia batendo e eu, apagando. Senti vergonha de mim e tive vontade de jogar todas no lixo”, lembra.

Ariane antes e depois (Foto: Arquivo pessoal) 

Foi a partir daí, em julho do ano passado, que Ariane decidiu voltar ao peso que mantinha antes de entrar na faculdade, há seis anos: 50 kg. Nesse período, com várias refeições pesadas e muitos doces entre amigos, a paulistana atingiu 75 kg, em 1,60 m de altura – o que a deixava no limite entre o sobrepeso e a obesidade.

Para isso, a jovem procurou um endocrinologista e iniciou uma reeducação alimentar. Durante três meses, também tomou sibutramina para acelerar o emagrecimento, por recomendação médica.

Novo menu
No cardápio, ela incluiu salada de frutas, fibras, iogurte, gelatina e chá verde. Cortou radicalmente a sobremesa, os líquidos durante as refeições e as proteínas no jantar.

“Nos primeiros meses, tinha vontade de comer sachê de açúcar puro. Foi difícil passar a Páscoa sem chocolate, mas para mim é como se fosse uma droga. Se eu comer, sei que vou sentir mais desejo. Se parar, a vontade passa”, diz a estudante, que foi magra na infância e na adolescência, mas em casa tem o pai obeso, a mãe com sobrepeso e a irmã mais nova com tendência a engordar.
Além de dar adeus aos doces, Ariane passou a tomar um bom café da manhã, que segundo ela dá uma “segurada” até o almoço. “Antes, eu tomava apenas um copo de leite”, compara.

Ao longo do dia, a paulistana tinha sempre algo à mão: balas, brigadeiros, bolachas recheadas ou pães de mel. Passada a fase das “besteiras”, ela agora quer baixar dos atuais 55 kg para 50 kg, com essa dieta mais saudável e força de vontade.

“Agora que já cheguei a um peso considerado ideal, poderia abrir exceções, mas não quero”, destaca.

A malhação faz bem ao coração
Em janeiro, para complementar a reeducação alimentar, Ariane entrou na academia, aonde vai todos os dias. Lá, faz jump, spinning, step e outras atividades aeróbicas por cerca de 2 horas. Também tem aulas de pilates e pratica 30 minutos de musculação duas vezes por semana.

“Já percebi a diferença no fôlego. Antes, não conseguiria fazer as aulas. Já não me canso, sinto menos sono durante o dia, fico mais disposta e animada”, ressalta.
A meta de Ariane agora é diminuir, com exercícios, a gordura localizada na barriga e, cirurgicamente, os seios, que ficaram mais flácidos após o emagrecimento.

Com as roupas que ficaram largas, muitas delas compradas nos EUA e totalmente novas, a estudante pretende fazer um bazar. As calças dela passaram do número 46 para o 38 e as blusas, do G para o M ou P, dependendo do modelo.

Hoje, a estudante garante que sai de casa mais arrumada, com peças mais justas para valorizar a silhueta. E o namorado, que havia engordado 10 kg ao longo da relação de seis anos, já perdeu pelo menos metade e incentivou muito Ariane.

“Em todo lugar que eu vou, tiro várias fotos de mim. Minha autoestima aumentou e não fico mais de qualquer jeito”, diz.


Fonte: globo.com/bemestar



3 comentários:

Equilíbrio! disse...

Super legal a estória de emagrecimento, espero que ela consiga manter. Que mudança nas fotos. É muito legal saber da experiência das outras pessoas, sempre tem algo que podemos utilizar para o nosso dia a dia.

todidieta disse...

Adoro esse tipo de matéria, estimula mt a gnt a ver que tb consegue! =)

Eu já tomei sibutramina e tive mta taquicardia, mas tem gnt que consegue segurar legal..

Beijinhos

Negra Flor disse...

Ai eu não consigo tomar remédio, me recuso. Se eu tiver que emagrecer tem que ser por educação alimentar e atividade física.

Beijos e obrigada pelo carinho de sempre.